Primeiro amor

Confesso: SOU FÃ DE GUNS ‘N’ ROSES. Pronto, falei. Minha história com essa banda de Los Angeles começa há algum tempo, quando tinha uns 14 anos. Era natal e minha mãe comprou uns CDs de rock pra me agradar (ela detesta esse tipo de música e se não tivéssemos brigado naquela época, provavelmente eu teria ganhado roupas). Eram três discos, uma coletânia do Aerosmith, outra do Creedence e, lá estava ele, Appetite for Destruction do Guns. Até então eu não conhecia absolutamente nada da banda. Lembro como se fosse ontem; a noite, no meu quarto, coloquei Appetite pra tocar e foi amor à primeira ouvida vista. Nos primeiros acordes de Welcome to the Jungle a adrenalina começou a correr e quando escutei a voz do Axl, meu queixo caiu (tá, alguns podem achar exagero, mas foi o que senti). Ouvi aquele CD umas três ou quatro vezes seguidas naquela noite, queria guardar cada detalhe, cada nota na minha cabeça. Parecia que eu tinha usado algum tipo de droga altamente viciante, (diego) juro por deus (/diego). No dia seguinte corri para o computador mais próximo para tentar saber quem eram aqueles doidos. Bom, até o começo dos meus 17 anos, Guns era a única coisa que eu ouvia e “ái” de quem falasse mal. Por sorte, fiz amizade com um guitarrista que me mostrou que a vida ia além Use Your Illusion e espandi meus conhecimentos musicais em anos luz, mas tem aquele velho ditado e que eu concordo: o primeiro amor a gente nunca esquece!

O Guns ‘n’ Roses surgiu em uma época em que o rock progressivo tinha perdido espaço para musicas mais simples, ou ‘comerciais’, como alguns diriam. Eram básicas na forma e se encaixavam num contexto criado pelo show business, abrindo caminho para o punk rock na Inglaterra e new wave nos Estados Unidos. O Guns nasceu com o mesmo espirito competitivo do punk/new wave do final dos anos 70. Mas trouxe consigo influências do hard rock do início da década, recuperando os antigos feitos da velha guarda.

A minha real intenção nesse post não é contar a história da banda e muito menos falar sobre o novo/velho disco, mas sim uma constatação. Eu realmente gosto de Guns e continuo achando que o Slash é um puta guitarrista que tem feeling e não se prende à partituras. Continuo achando que não vai surgir outro vocalista como o Axl, que cante com a mesma fúria ou que tenha a mesma atitude e não pareça algo planejado pra vender discos. Guns é a minha adolescência e aposto que de muita gente que leu este texto também (mesmo que não queiram admitir).

Stranged – Guns ‘n’ Roses

P.S.: Parabéns Capitão Conhaque!

Anúncios

9 Respostas to “Primeiro amor”

  1. Eles representaram o fim de uma época! Sexo, drogas e penteados esdrúxulos. Depois chegou o grunge e acabou com a diversão no rock. É os anos 80 acabaram bem no momento em que ouvi pela primeria vez o disco do Guns, em 31 de dezembro de 1988*

    *by simpsons

  2. Capitão Conhaque Says:

    Só não entendendi os trechos “Confesso: SOU FÃ DE GUNS ‘N’ ROSES. Pronto, falei” e “Guns é a minha adolescência e aposto que de muita gente que leu este texto também (mesmo que não queiram admitir)”.
    Parece que tem vergonha de gostar de Guns.
    Eu gosto e sem vergonha. E se alguém aqui deveria ter vergonha de achar o máximo um cara de shortinho colado, não é tu. Juro por Deus.

    Obrigado pelos parabéns.

    😀

  3. BEM…ADORAVA GUNS TAMBEM…MAS ANTES DELES…COM 12 ANOS MEU PRIMEIRO E ATE HOJE MEU GRANDE AMOR…FOI O IRON MAIDEN. CURTO MUITO TUDO ISSO…ADOREI O BLOG…E OBRIGADA POR VISITAR AS GAROTAS MIMIMIMOMOMO…BJS

  4. Lolla Says:

    Cara quem me apresentou Guns, foi uma uma amiga de escola que morava num convento. Vou falar que o primeiro atrativo foi o Axl mesmo…que fútil..mas foi.
    Depois o som..mas certeza que foi minha iniciação nesse mundo…e no mais tu disse tudo. “Slash é um puta guitarrista que tem feeling e não se prende à partituras … não vai surgir outro vocalista como o Axl, que cante com a mesma fúria ou que tenha a mesma atitude e não pareça algo planejado pra vender discos” APOIADA!!

  5. Eu nunca fui fã de Guns, apesar de gostar. É que conheci eles digamos que um pouco tarde. E eu tive a mesma impressão que o Di. Parece que ficou com vergonha de dizer que é fã. Imagina! Pior se tu falasse:

    “Sou fã de CPM 22!” Já pensou… a catástrofe que não seria?! 🙂

  6. Nunca tive vergonha de dizer que sou fã de Guns…

  7. 😦

    Ain, desculpa. Eu sei que não tem vergonha…!!!

  8. hahahhaha
    Desculpo, mas só dessa vez. Que fique bem claro.

  9. Atuali-zá! Atuali-zá!

    😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: